segunda-feira, 4 de julho de 2011

Do outro lado do espelho



"Já sabemos que as pessoas loucas vivem do outro lado do espelho. A questão é, de que lado estamos?" 

Joakim Antonio

  
- Mas eu não quero me encontrar com gente louca - observou Alice.
- Você não pode evitar isso - replicou o Gato. 
- Todos nós aqui somos loucos. Eu sou louco,você é louca.
- Como você sabe que eu sou louca? - indagou Alice.
- Deve ser - disse o gato - Ou não teria vindo aqui.


Alice no País das Maravilhas é a obra mais conhecida de Lewis Carroll, que a publicou a 4 de julho de 1865.

É uma das mais célebres do gênero literário nonsense ou do surrealismo, sendo considerada a obra clássica da literatura inglesa. O livro conta a história de uma menina chamada Alice que cai numa toca de coelho que a transporta para um lugar fantástico povoado por criaturas peculiares e antropomórficas, revelando uma lógica do absurdo característica dos sonhos. Este está repleto de alusões satíricas dirigidas tanto aos amigos como aos inimigos de Carrol, de paródias a poemas populares infantis ingleses ensinados no século XIX e também de referências linguísticas e matemáticas frequentemente através de enigmas que contribuíram para a sua popularidade. É assim uma obra de difícil interpretação pois contém dois livros num só texto: um para crianças e outro para adultos.

Este livro possui uma continuação Alice do Outro Lado do Espelho, e ambos influenciam ainda diversos autores e filmes como A Liga Extraordinária, de Alan Moore e Sandman, de Neil Gaiman.

Algumas impressões desta obra contêm tanto As Aventuras de Alice no País das Maravilhas, como também a sua sequência Alice no Outro Lado do Espelho.

Simbolismo

O livro pode ser interpretado de várias maneiras. Uma das interpretações diz que a história representa a adolescência, com uma entrada súbita e inesperada (a queda na toca do coelho, iniciando a aventura), além das diversas mudanças de tamanho e a confusão que isso causa em Alice, ao ponto de ela dizer que não sabe mais quem é após tantas transformações (o que se identifica com a psicologia adolescente).


Imagem original: Alice in Wonderland by ashley17

12 comentários:

  1. Boa abordagem! Reconheço que quando criança fiquei muito impressionado com o filme de Walt Disney!

    ResponderExcluir
  2. O real pode ser uma percepção insuficiente.

    ResponderExcluir
  3. @ Dom Quixote

    Eu também Thomaz, uma história fantástica, hoje em dia admiro mais ainda!

    ResponderExcluir
  4. @PoetaDaColina

    Muitas vezes, ou sempre!

    ResponderExcluir
  5. Hoje, quem de louco não tem um pouco?
    Uma doce loucura para aproveitar a vida!

    Um abraço
    Juliana

    ResponderExcluir
  6. @Ju_lianaMatos

    É verdade Juliana, de médico e louco... :)

    Abraço

    ResponderExcluir
  7. Olá Joakim
    Todos somos loucos, só que muitos de nós, não percebemos ainda.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  8. @ Wanderley

    Concordo amigo, abração!

    ResponderExcluir
  9. dizer que somos loucos
    é assumir a parte mais interessante da nossa essência, é primordial a loucura no amor, na escrita, em tudo o que se anuncia VIDA

    abraços,
    do menino-homem

    @abvitor

    fique com Deus

    ResponderExcluir
  10. @abvitor

    Somos todos fragmentos da diária loucura.

    Abraços menino-homem, fica com Deus!

    ResponderExcluir
  11. Simplesmente perfeito, meu querido!!

    Poucas histórias falam de maneira tão profunda à minha alma como Alice...

    Pirei, viajei e delirei no seu post, para um lugar muito especial!

    Obrigada pela oportunidade...

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  12. @tatikielber

    É mesmo Tati, não é só Alice que viaja, ela nos leva com ela. Beijos

    ResponderExcluir

"Quando escrevo minhas idéias tornam-se a pena e minha alma a tinta, por isso quando você lê, você me sente."

Deixe-me saber o que você sente.

Obrigado por comentar!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...