sexta-feira, 1 de julho de 2016

O poeta ao céu - Descortinando Alceu Valença (compositor)


No nordeste a poesia impera, o novo nasce até no seco e com bravura e rapidez, toma conta do país.

É de lá que vem Alceu, aquele menino dos Valença, que todo mundo pousa os olhos para ver no que deu. Crescendo em meio ao tradicional misturado com o contemporâneo, absorvendo tudo, das cirandas de menino ao Rock & Blues americano. Construído pelo amor das mulheres, desde a que lhe apresentou a poesia, ainda levado pelas mãos, até as que, levadas por suas mãos, conheceram a poesia.

Talvez fosse inevitável que se tornasse poeta, e como todo poeta, não teve medo de ousar e renovar seu mundo, assim, de verso em verso, Alceu renovou a música, porque além de ousar, ele é daqueles raros que acerta o mote, criando no seu caldeirão a composição certa, que como magia, canta e encanta corações.


Alceu Valença é múltiplo e possui várias alcunhas, mas antes de tudo, ele é um Poeta.


Joakim Antonio 


"Antes de me tornar músico, eu era poeta. Sempre tive atração pela língua portuguesa. Penso muito rápido e a palavra escrita atenua a velocidade do pensamento” - Alceu Valença

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Boa tarde e semana!

Boa tarde e semana!

Todo mundo cabe dentro de um poema. Irá sorrir, chorar, ou enraivecer-se. Dependendo do que ele viu, sobre si mesmo. Por isso é interessante postarmos coisas antigas, quem já o leu terá novos olhos e sempre haverá quem não o leu, ambos, nos mostrando o que há no seu coração.
Não existe poema sem arma_dura, mas só fere-se quem dá soco, quem suavemente o ama, apaixona-se.

Assim é!

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Hermético compreensível - Descortinando Hermeto Pascoal (compositor)


Hermeto é hermético
para muitos
consciência espacial
remédio natural
para todos

Assobia feito passarinho
canta feito lavadeira
mistura fina e pura
de criança arteira
ao contrário do dito
não tira som de tudo

Ele nos dá

Ao tirar tampões
de ouvidos preguiçosos
mal acostumados
por gostos fabricados
o que sempre esteve
se apresenta

E a nossa vida
passa a ter
um novo
tom

Joakim Antonio 

Os sons da natureza o fascinaram desde pequeno. A partir de um cano de mamona de jerimum (abóbora), fazia um pífano e ficava tocando para os passarinhos.  

Hermeto Pascoal (Lagoa da Canoa, 22 de junho de 1936) é um compositor arranjador e multi-instrumentista brasileiro (toca acordeão, flauta, piano, saxofone, trompete, bombardino, escaleta, violão e diversos outros instrumentos musicais).
Ao ir para a lagoa, passava horas tocando com a água. O que sobrava de material do seu avô ferreiro, ele pendurava num varal e ficava tirando sons. Até o 8 baixos de seu pai, de sete para oito anos, ele resolveu experimentar e não parou mais.
Atualmente, Hermeto Pascoal apresenta-se com cinco formações: Hermeto Pascoal e Grupo, Hermeto Pascoal e Aline Morena, Hermeto Pascoal Solo, Hermeto Pascoal e Big Band e Hermeto Pascoal e Orquestra Sinfônica.
Calendário do Som
De 23 de junho de 1996 a 22 de junho de 1997, registrou uma composição por dia, onde quer que estivesse. Essas composições fazem parte do Calendário do Som, livro de 414 páginas lançado em 1999 pela Editora Senac. O objetivo é homenagear todos os aniversariantes do mundo, incluindo uma canção a mais, para os que haviam nascido em ano bissexto.
As partituras manuscritas por Hermeto foram digitalizadas fielmente por Becca Lopes, mantendo a originalidade com a qual o músico e compositor escreveu, sem qualquer tipo de alteração gráfica. Em cada uma das 366 partituras, Hermeto faz um comentário ou reflexão afetuosa sobre amigos, familiares, músicos, seu Fluminense Football Club e objetos em geral, sempre finalizando com a frase “Tudo de bom sempre”.
Na imagem ao lado, a partitura para o dia de hoje, quer saber a sua? Vá até o site de Hermeto e descubra: Clique aqui

Créditos da imagem: Divulgação

terça-feira, 21 de junho de 2016

Documentário - Machado de Assis: um mestre na periferia (Mestres da Literatura)




Sinopse

A vida e a obra literária de Machado de Assis, um dos mais importantes escritores da língua portuguesa, são documentadas por meio de imagens de época, filmes adaptados de suas obras e análises de professores e críticos literários brasileiros. Filho de operário negro com uma lavadeira portuguesa, nascido e criado no morro do Livramento, no Rio de Janeiro, Machado de Assis ascende à presidência da Academia Brasileira de Letras, tendo, assim, percorrido os extremos da sociedade brasileira, que soube representar como ninguém. Observador agudo da realidade de seu tempo e país, escreveu romances clássicos da literatura brasileira como Memórias Póstumas de Brás Cubas e Dom Casmurro.

Ficha Técnica

Equipe Polo de Imagem

Roteiro e Direção: Daniel Augusto
Produção Executiva: Malu Viana Batista
Coordenação de Produção: Marcia Lima
Direção de Fotografia: André Macedo
Edição: Renata Terra
Design Gráfico: Eduardo Gurman e Fernando Nogueira
Trilha Sonora:  OriginalTrex/M3
Narração: Paschoal da Conceição

Equipe TV Escola

Direção de Produção: Antonio Augusto Silva
Coordenação de Programação: Rogério Soares
Coordenação de Material Didático: Vera Maria Arantes
Produção: Marilda Cabral


Para mais vídeos visite meu canal no Youtube

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...