segunda-feira, 21 de julho de 2014

Distraído - Descortinando Hart Crane (poeta)



Distrações são vivas
nos levam pelo braço
passeando entre espaços
dentro do próprio ser

Distrações são traiçoeiras
aproveitam nossa cansaço
e sem fazer estardalhaços
nos deixam a sua mercê

Distrações são vazios
de crescimento rápido
criando mais espaços
a nos conter

Distrações são borrachas
apagando fino traço
nos tornando fracos
trazendo o esquecer

Joakim Antonio


Esquecimento é como uma canção
Que, sem ritmo e medida, perde-se.
Esquecimento é um pássaro de asas harmonizadas,
Abertas e imóveis —
Um pássaro que plana ao vento, incansavelmente.

Esquecimento é chuva noturna,
Ou uma casa velha na floresta — ou uma criança.
O esquecimento é branco — branco de árvore ressecada.
E pode atacar a Sibila¹ em profecia,
Ou enterrar os deuses.

Eu posso lembrar muitos esquecimentos.

Hart Crane, ESQUECIMENTO 

Hart Crane (21 de julho de 1899 – 27 de abril de 1932) foi um poeta modernista dos Estados Unidos.
Começou a escrever poesia moderna quando foi viver para Nova Iorque, influenciado por Pound e Eliot, escrevendo ainda em formas tradicionais e arcaicas. Em 1926, quando publicou sua primeira coleção de poemas ainda sofria influência simbolista.

Após a publicação de Bridge, em 1930, livro cheio de otimismo em relação aos EUA, Hart Crane entrou numa profunda depressão, embora continuasse a produzir em estilo requintado.
Depois de obter uma bolsa de estudos no México e de se mudar para lá por algum tempo, na viagem de regresso, Crane suicidou-se atirando-se ao mar.

Embora considerado por muitos de difícil compreensão, e tendo falecido jovem, tornou-se num dos poetas mais influentes da sua geração, sendo citado, muito posteriormente, em Howl e outros poemas, de Allen Ginsberg. WIKI



Par saber mais:

Português


English



1. Sibilas são um grupo de personagens da mitologia greco-romana. São descritas como sendo mulheres que possuem poderes proféticos sob inspiração de Apolo. WIKI

Imagem: Hart Crane by David Alfaro Siqueiros

domingo, 20 de julho de 2014

Jogando-se - Dia do Amigo



Então se seus amigos se jogarem da ponte, você também se joga?

Com toda certeza mãe, ainda por cima, sorrindo.

Joakim Antonio



Cada um sabe o momento que vive e os amigos que tem, uns mais íntimos, outros apelidados de colegas e alguns mais, tidos apenas como conhecidos. Há os amigos virtuais, bem reais e também os imaginários, que existem ou não, dependendo da força da sua imaginação. Mas se fazemos algo juntos, uma coisa é certeza, há algo ali que nos faz realmente bem.

Um grande abraço a todos que me fizeram, me fazem e farão muito bem.

Feliz dia do amigo!




Dia do amigo

O Dia do Amigo é uma data proposta para celebrar a amizade entre as pessoas. No Brasil, Uruguai e Argentina, a data mais difundida para esta celebração é 20 de julho, aniversário da chegada do homem a lua. Em 27 de abril de 2011, a Assembleia Geral das Nações Unidas resolveu convidar todos os países membros a celebrarem o Dia Internacional da Amizade em 30 de julho.



No Brasil, apesar de não ser instituída por lei, o dia do amigo é também comemorado popularmente em 18 de abril. No entanto, o país também vem adotando a data de 20 de julho, sendo inclusive instituída oficialmente em alguns estados e municípios. Fonte: Wikipédia


Imagem: Friends by Nuno Ramos

sexta-feira, 18 de julho de 2014

46664 - Prisioneiro da Paz - Descortinando Nelson Mandela (pacifista)




Diário de uma prisão Planeta Terra, dia 18 ano 67

Alguns se vêm presos pela carne, classe, status, destino. Outros pelas palavras ditadas, pelos ditos superiores, que se acham com mais estudo, a cor mais certa, a munição mais parruda. Há aqueles que vivem presos às memórias da infância, das oportunidades perdidas, do pouco que tinha e lhe foi tomado. Ainda há os que vivem presos por conveniência, para alegrar aos pais, aos filhos, a sociedade e ao seu íntimo.

Passei por tudo isso, vivenciando e observando. Vi meu povo e amigos morrendo e aprendi que o ódio que sentia, apenas se multiplicaria, se o deixasse preso dentro de mim. Ao longo de todo tempo, mantive meus princípios e por isso, mesmo preso, fui livre.


Eu fui detido pela guerra, mas fui preso pela paz.


Joakim Antonio

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Confissões - Descortinando Anne Sexton (poeta)





Enquanto você canta
Nem às paredes confesso
Lhe alerto que fuja
Ainda secreta e pura
Não suja por mim

Pois como já fui
Ainda estando
Sou menos que anjo
Com desejos mundanos
Despertos por ti

Não ligo pra eles
Pois já sou liberto
Me toco por fora
Te toco por dentro
Em grande frenesi

Seremos loucos
Em confissão mútua
Propondo batalhas
Num corpo a corpo
Respondendo sim

Joakim Antonio

"Não acho que escreva poemas públicos. Escrevo poemas muito pessoais, mas espero que eles se tornem no tema central da vida privada de outras pessoas." 

Anne Sexton 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...