terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Na madrugada



A madrugada canta enquanto a maioria dorme.

Há uma TV ligada na sala
uma criança pedindo comida na rodoviária
uma fatia de pizza fria, esquentando, na mesa de centro.

Por um momento alguém pisca e se move
um vigia, tremendo,  passa apitando em sua moto
um último suspiro sai do cobertor feito de notícias banais.

Algumas centenas de pets descem rio abaixo
centenas de árvores antiquíssimas morrem rio acima
centenas desejam algo acima e abaixo de seus corpos.

Em algum lugar luzes são acesas
algum índio teima em continuar sendo
algum civilizado percebe-se deixando de ser.

Velas continuam à queimar
continuam a lhe dar novos pavios
continuam a iluminar independente da forma.

Por vários séculos há vozes mudas
vários avisos sendo exaustivamente escritos
vários devaneios sendo sacramentalmente aceitos.

Eles escrevem o algo que você vê
escrevem o nada que, parece, não existe
escrevem, sobretudo, o que outros não querem perceber.

Há luzes acesas na madrugada, os escritores, sonhando acordados.


Joakim Antonio

13 comentários:

  1. a madrugada canta pra gente dormir

    sonhar acordado, acordar sorrindo

    amuce mo benhe

    ResponderExcluir
  2. Eles escrevem o que um ser humano comum não pode ver nem sentir... Belíssimo post!!! Deixo carinhos pra ti... Bjsss

    ResponderExcluir
  3. O escritor divaga, tentando apanhar o respirar da madrugada. E as palavras, cúmplices, associam-se à sua vontade...

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Essa é a vida...a vida quando a lua é a rainha!

    Acho que a noite é linda, misteriosa, inspiradora e propícia para qualquer pacto de paz, ou...pode ser o contrário de tudo isso.

    O que trazemos na alma, colocamos no tempo!

    bEIJO GRANDE PRA VC !

    ResponderExcluir
  5. Oi Preto da minha amiga Cintilantona...
    Adoro a madrugada e olha que nem sou poeta...rs
    Pra mim, momento mágico...faço td melhor, até passear dentro de mim.
    Ótima semana, com madrugaddas de sons e silêncios barulhentos.
    Bjs meus !

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente muitas vozes continuam mudas, muitos olhos teimam em não enxergar, pois é mais fácil viver, ignorando tudo o que acontece em nosso entorno. A degradação ambiental, social, cultural, é fruto da falta de atitude, da “ignorância” dos problemas envolta. Enquanto o ser humano não buscar uma nova conduta, rever seus hábitos de consumo e olhar o outro e o meio como problema seu, a sociedade continuará seu caminho rumo a um colapso global. É mais fácil fechar os olhos e não ler as entrelinhas.
    Bjusss

    ResponderExcluir
  7. a madrugada, querido, inspira. eh mais silenciosa, embora diga e canta e recite coisas lindas.

    ResponderExcluir
  8. Excelente poesia social, Joakin. Poesia que entra em nossos sentidos e faz pensar na vida. Se você permitir, gostaria de reproduzir em nosso blog,com as devidas referências.

    ResponderExcluir
  9. beleza de poema. Os poetas escritores na madrugada!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Olá Joakim!
    Toda a sensibilidade do poeta aflora na madrugada. Durante ela, tudo é mais sentido, pode ser considerada (?) a madrugada um momento de introspecção do poeta, ou um momento de "cópula" entre o poeta e a madrugada, pela influência que ela tem sobre o escritor.
    Lindo poema, amigo!
    Seja de muita luz a sua semana.
    Beijos em seu coração!

    ResponderExcluir
  11. Oi Preto da Preta...
    Agradecendo o carinho no meu blog e deixando desejos de que a semana flua deliciosamente.
    Bjs meus !

    ResponderExcluir
  12. Eu estou oferecendo meu cartãozinho de Natal, no meu Blog AGUA DE ROSAS, apareça...
    http://aguaderosas-jacque.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. uiaaaaaaaa

    o DESCORTINAMENTO virou a casa do Papai Noel...eeeeeba!!!

    beijo mo véi

    ResponderExcluir

"Quando escrevo minhas idéias tornam-se a pena e minha alma a tinta, por isso quando você lê, você me sente."

Deixe-me saber o que você sente.

Obrigado por comentar!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...