domingo, 19 de fevereiro de 2017

Voo Azul


Usei de penas coloridas para mandar uma borboleta. Azul como o oceano, brilhante como o céu, no mais vibrante tom. Carrega palavras desconexas, como se não houvessem continuação, pois a cada quero, teu movimento em silêncio me para, enquanto deixo a música do tocar de asas falar por mim. Mas não se assuste, se ao olhar no espelho, ver escorrer algo pela face. Não são lágrimas. E sim minha poesia, beijando teu rosto e querendo percorrer todo teu corpo nu.

Joakim Antonio


Imagem: Imaginary by misericordia

4 comentários:

  1. Um poema intenso belo
    onde a poesia escorre em cada detalhe.

    Bjo poeta e boa semana🙏🏻

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Fernanda.

      Bjo poeta, uma linda semana!

      Excluir
  2. espaço mágico do
    i n s t a n t e


    abç

    ResponderExcluir

"Quando escrevo minhas idéias tornam-se a pena e minha alma a tinta, por isso quando você lê, você me sente."

Deixe-me saber o que você sente.

Obrigado por comentar!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...